Postado em 15 de Julho às 15h28

“O digital deixou de ser o futuro e passou a ser o presente”

Artigos (97)
P&P Consultoria - Desenvolvimento Humano e Organizacional Com uma crise que não estava em nenhum manual de comunicação, foi o momento de olhar para dentro e refazer as estratégias. “Do dia pra noite, a...

Com uma crise que não estava em nenhum manual de comunicação, foi o momento de olhar para dentro e refazer as estratégias.

“Do dia pra noite, a comunicação interna virou a menina dos olhos. Era fundamental para manter todos os colaboradores de maneira saudável e informados no home office. Lembrando que não é um home office igual, é com a família presente”, aponta Carolina Prado, head de Comunicação para Intel Brasil e Canadá, no painel “O protagonismo da comunicação interna”, durante o Fórum Empresas que Melhor se Comunicam com Colaboradores.

Promovido pela Melhor RH em parceira com a plataforma Negócios da Comunicação, o painel contou também com a participação de Sheila Ceglio, diretora de Recursos Humanos da Pfizer, e Guilherme Almeida, Gerente de Comunicação Corporativa da Edenred.
Com muita informação circulando, fake news e uma crise que não estava em nenhum manual de comunicação, foi o momento de olhar para dentro, refazer a comunicação e as estratégias. Relembra Carolina: “A gente já tinha esse lugar na mesa com a liderança, mas foi aí que se consolidou a tríade: Comunicação, RH e alta liderança”. Carolina Prado (Intel), Sheila Ceglio (Pfizer) e Guilherme Almeira (Edenred) participaram do Fórum Empresas que Melhor se Comunicam com Colaboradores.

Comunicação interna no RH
Sheila aponta que um dos fatores que para a Pfizer chamou a atenção foi o impacto na mudança organizacional: a linha de report mudou para Recursos Humanos. “O mais importante é mantermos a relevância da área e todas conectadas, com o propósito e a estratégia da corporação”, reforça.

Para ela, é importante trabalhar o diálogo interno e, em seguida, fortalecer a manutenção da prática. “Temos uma forma diferente de trabalhar, que vai evoluir e que tem a expectativa de voltar o mais próximo do que a gente tinha antes, mas que não vai ser igual”, aposta. Os diferentes canais disponíveis para os colaboradores da empresa serão atualizados conforme a necessidade. Almeida, da Edenred, reforça o movimento: “A comunicação interna está migrando para o RH. Se ela está fora do RH e está distante é prejudicial, assim como se ela for distante do negócio”, explica.

Ferramentas
Para Almeida, um dos pontos avaliados é a necessidade de agilidade muito maior. “É preciso se preocupar mais com o timing do que a estética da mensagem”, diz. Ele acredita que ainda há trabalho a ser feito para que a estratégia da empresa seja internalizada, principalmente com a equipe em home office.

Ele conta que na Edenred havia um pull de canais e alguns ficaram inoperantes, como a TV corporativa. Portanto, a missão era focar no que pudesse captar a atenção do colaborador, não apenas apostar no que já havia disponível. “Então lançamos um perfil fechado no Instagram. Nossos colaboradores que escolhem nos seguir, como se fossemos um influenciador digital e já atingimos 50% da nossa base nos seguindo”, conta.

O desafio também foi encarado pela Pfizer, que almejou fazer comunicação comunicativa para engajar em canais diferentes. “Até agora estamos 100% de home office e perdemos um pouco aquela comunicação face to face. E a rede social interna tem feito uma diferença nisso”, explica Sheila. O foco agora é manter esse bom fluxo, mesmo porque será outra realidade na retomada.

Na Intel, foi feita uma reestruturação dos canais, como a intranet. “Passamos a adotar o teams – é uma ferramenta oficial da Intel. Criamos um canal interno, tentamos unificar todas as ferramentas de comunicação, não apenas o repositório das informações, mas também um lugar de troca. Para ficar interessante e útil”, conta Carolina Prado.

Aumento da demanda
E quem pensa que o distanciamento diminuiu o trabalho, se engana. Com os colaboradores remotos, novas demandas foram surgindo. Questões trabalhistas, problemas de equipe, tudo teve que ser lidado com agilidade pelos canais desenvolvidos. “Muitas vezes a gente abdicou de uma estética para ser extremamente transparente. Também tomamos o cuidado de não descontinuar programas, comemorações e sim acrescentar. Para não ter o choque para o colaborador”, explica Almeida da Edenred.

O executivo reforça que Comunicação, RH e Marketing devem seguir alinhados. “Já existia a impressão da Comunicação interna estar atrasada e isso era crucial nesse momento. Dosar o nosso tom, o que a gente está falando no mercado é o que a gente está praticando na empresa”.
Sheila, da Pfizer, comenta que ao deixar Comunicação e RH paralelos, é preciso fazer adaptações, mostrando para o cliente quais as melhores soluções para o que eles precisam. E nem sempre é a ferramente mais desejada que vai entregar o que é necessário. “Eu não estou aqui apenas para escrever um texto, estou para ser um elo, um facilitador, o que eu posso oferecer com o meu conhecimento técnico. O que me parece é que as vezes surge uma ferramenta nova que todo mundo quer usar, e aquilo se torna tão repetitivo, que cansa e para de engajar”.

“Apenas migrar o que era feito no presencial para o virtual não funciona, então precisamos modificar a parte estratégica. Dividimos em três pilares: colaboração, celebração e bem-estar. Fizemos uma pesquisa interna e aumentamos o nosso engajamento de um ano para o outro, mesmo com a pandemia”, relata Carolina, sobre a situação da Intel. “Não temos previsão de voltar ao escritório”, reforça, destacando a importância de deixar todos os processos bastante afinados para o fluxo da comunicação.


Fonte: Melhor gestão de pessoas.

Veja também

Você sabe o que é Felicidade Corporativa?09/09 Fórum de Felicidade Corporativa debateu sobre o papel do bem-estar dentro das empresas e os processos de humanização do mundo corporativo. Diante da necessidade de se debater sobre o que é felicidade corporativa e a importância do bem-estar voltado para as relações humanas, em tempos de pandemia, buscar meios de adequar a satisfação dos colaboradores......
Apesar da distância, empresas mantêm cultura organizacional21/05 Comunicação intensa motivada pelo trabalho remoto resultou em aproximação entre empresas e funcionários. Com o surgimento e disseminação da Covid-19, as empresas se mobilizaram para enfrentar uma nova......
LIDERANÇA: INDO ALÉM DO SAUDÁVEL30/04/20 Todos esperam que um gestor tenha maturidade emocional para gerenciar e controlar sua própria ansiedade e a do grupo que ele lidera. Mas como ele pode se preparar para isso sem se exaurir? Segundo pesquisa da empresa de recrutamento Robert Half,......

Voltar para COMPARTILHANDO

USO DE COOKIES

Nós utilizamos cookies com objetivo de prover a melhor experiência no uso do nosso site. Por favor, leia nossa Política de Privacidade e nossos Termos & Condições para entender quais cookies nós usamos e quais informações coletamos em nosso site. Ao continuar sua navegação, você concorda que podemos armazenar cookies no seu dispositivo. Leia nossa Política de Privacidade.