Postado em 08 de Outubro de 2020 às 09h00

Um novo líder nasce, porém tudo começa com o autoconhecimento

Artigos (59)
P&P Consultoria - Desenvolvimento Humano e Organizacional O novo líder precisa se olhar no “espelho”. Cabe ao RH estimular esse processo de mudanças dentro da organização, pois o grande desafio é se...

O novo líder precisa se olhar no “espelho”. Cabe ao RH estimular esse processo de mudanças dentro da organização, pois o grande desafio é se conhecer, aceitar suas forças e franquezas.

Nos últimos meses, a mudança no perfil dos líderes em decorrência da pandemia tem sido um tema recorrente em diversas matérias veiculadas pela imprensa, especialmente nas publicações de negócios. Características como a proximidade dos gestores com suas equipes (mesmo que de forma virtual), a interação mais humana a partir do uso da empatia para criar ambientes de segurança psicológica, a e liderança com compaixão – que entende e sente a dor do outro, com coerência, flexibilidade, resiliência e transparência – são algumas das diversas características agora consideradas primordiais para a gestão de equipe.


Segundo Ram Charan, um dos maiores especialistas em liderança do mundo, o líder do século XXI necessita buscar grandes ideias e tentar aprender a todo o tempo. Para ele, a curiosidade é uma característica nata dessas pessoas. Elas têm capacidade de entender as ansiedades das suas equipes de uma forma mais genuína e natural, buscando sempre promover a evolução dos ambientes onde estão inseridos, compreendendo com clareza as prioridades e sabendo administrar seu tempo para atendê-las.


Nesse mundo que muda a todo o instante, ele reforça que para os líderes terem uma execução eficaz, é necessário saber antecipar as mudanças, conhecer sua empresa e setores onde atuam, além das pessoas que integram seus times e saber motivá-las. É importante reforçar que as pessoas são únicas e precisamos atuar de forma diferente com cada uma, definindo prioridades que estejam alinhadas com a necessidade do negócio e cultivar hábitos profissionais saudáveis.

Nesse novo mundo, os líderes realmente cuidam dos seus talentos por meio da dedicação de tempo para conhecer e desenvolver pessoas, reconhecendo o trabalho, oferecendo feedback constante, e não delegando para outras pessoas esse papel.
Fica claro que – sim! – o papel do líder tem que mudar. Porém, antes de tudo, ele precisa buscar o autoconhecimento e os profissionais de RH tem papel chave para ajudar nesse processo. A área de recursos humanos tem como tarefa ser um facilitador dessas mudanças internas. O autoconhecimento é a base de todo o processo de desenvolvimento de uma competência e, naturalmente, da geração de um novo comportamento nas organizações.


De forma geral, para termos bons líderes, que querem crescer e se desenvolver, é necessário um desejo individual. Apesar de vivermos um período pandêmico e sem precedentes, não há momento mais adequado para se autoconhecer do que o atual!
Importante reforçar aqui o grande desafio que é o autoconhecimento. Uma vez fiz uma pesquisa no Linkedin com 125 pessoas, sendo 83% deles líderes. Perguntei como eles avaliavam os líderes ao seu redor e como eles se auto avaliaram: 81% se consideravam bons líderes e apenas 24% consideravam os líderes ao seu redor bons. Ou seja, existe uma grande diferença entre o que eu entendo sobre mim, minha identidade, e como eu me demonstro para os outros, minha imagem.


Resumidamente, nós precisamos nos conhecer e “nos olharmos no espelho” antes de tudo. Espero que esse momento ajude as pessoas a interagirem umas com as outras de uma forma diferente. O que você é como ser humano é o que vai estimular a forma que você vai se relacionar com o outro. Aceitar suas forças e fraquezas, as quais todos temos, é o que vai ajudar você a criar um melhore ambiente de trabalho. Dessa forma, você entenderá quem você é para entender quem o outro é, e assim ter uma melhor relação com a sociedade e com suas equipes
Acredito muito também que ao mostrar quem você é e as suas vulnerabilidades, fica mais fácil para as pessoas entenderem que o líder não está em um pedestal, e assim construir, naturalmente, uma conexão diferente com as equipes.

Fonte: Melhor Gestão de Pessoas, por Salim Khouriem

Veja também

LIDERANÇA: INDO ALÉM DO SAUDÁVEL30/04/20 Todos esperam que um gestor tenha maturidade emocional para gerenciar e controlar sua própria ansiedade e a do grupo que ele lidera. Mas como ele pode se preparar para isso sem se exaurir? Segundo pesquisa da empresa de recrutamento Robert Half, os profissionais brasileiros são os mais estressados do mundo. A empresa entrevistou quase 1.800 gestores de RH em 13 países e constatou que, por......
Você sabe cooperar e liderar?09/04/20 A primeira virtude de um líder é ser capaz de ajudar quem está à sua volta a crescer. O seu verdadeiro poder é aquele que faz a semente germinar, o botão da flor desabrochar Liderança é um tema que......
TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO (T&D)30/01/19 Empresas brasileiras investem R$ 2,21 milhões em capacitação de colaboradores "Em 2018, as empresas brasileiras investiram em Treinamento & Desenvolvimento (T&D) uma média de R$ 2,21 milhões – montante......

Voltar para COMPARTILHANDO