Postado em 08 de Setembro às 14h20

Os 12 sinais de alerta do burnout

Artigos (139)
P&P Consultoria - Desenvolvimento Humano e Organizacional Nem sempre percebemos quando algo não vai bem com a saúde mental, principalmente nos estágios iniciais. Veja os riscos Reconhecida pela...

Nem sempre percebemos quando algo não vai bem com a saúde mental, principalmente nos estágios iniciais. Veja os riscos

Reconhecida pela Organização Mundial da Saúde como doença ocupacional — isto é, relacionada ao trabalho —, o burnout apresenta um conjunto de sintomas físicos e emocionais decorrentes do estresse crônico. No início, é difícil notar os sinais, porque se parecem com outros quadros e costumam ser normalizados no mundo corporativo. Mas é preciso ouvir o que o corpo e a mente falam, para prevenir o avanço do problema, seja ele qual for.

E os líderes também devem ficar atentos, não só a si, mas também à equipe, para garantir um ambiente de trabalho psicologicamente saudável. “Será que podemos contribuir para evitar o burnout? A boa notícia é que podemos aprender os sinais mais sensíveis dessa doença, muito antes que o quadro se agrave”, afirma o psicólogo Luiz Edmundo Rosa, diretor da Associação Brasileira de Recursos Humanos (ABRH Brasil) em Saúde Corporativa e coordenador do Congresso Nacional de Recursos Humanos com foco em Saúde (Conarh Saúde), realizado em agosto. “Dessa forma, temos a chance de alertar líderes na empresa, familiares e amigos para encaminhar o caso, quando necessário, a especialistas como psicólogos e psiquiatras.”

Para Luiz, a evolução do problema tem a ver também com a falta de habilidade de uma pessoa em perceber e reagir corretamente às alterações em seu estado mental. E pode haver inaptidão de sua família, de amigos e colegas na hora de notar as mudanças e apoiar quem sofre com o burnout.

Os sinais que antecedem a uma crise podem ser identificados numa escala de gravidade, medida pelo aprofundamento do quadro, que vai agregando sintomas cada vez mais sérios.

“Alguns sinais são mais fáceis de serem percebidos. Outros, entretanto, são mais difíceis de detectar, e a pessoa afetada pode não ter consciência do que está acontecendo, exigindo uma observação mais refinada, o que inclui desde um diálogo amigável até uma consulta com um profissional”, diz Luiz.

Veja os 12 pontos que podem indicar risco de desenvolvimento do burnout, que cresce com a persistência, a progressão e a combinação desses indicativos, segundo o especialista. Os sinais foram divididos nas cores amarelo (leve), laranja (moderado) e vermelho (grave).

Zona Amarela
1. Elevação da ansiedade

Viver em ansiedade é algo normal em nossas vidas, mas quando ela cresce em demasia, e assim permanece, é um sinal de que algo não vai bem.

2. Aumento da irritabilidade

A forma alterada das pessoas reagirem, fora do esperado, com respostas bruscas e agressivas.

3. Alteração do nível de energia

Alguns passam a chamar a atenção pelo excesso de energia e agitação. Outros vivem o oposto, demonstrando cansaço e pouca motivação. Ficam mais quietos e isolados, rejeitando convites de amigos e colegas.

4. Falhas de memória

É o caso de pessoas que começam a se esquecer de horários e compromissos anteriormente assumidos.

Zona Laranja
5. Transpiração excessiva

Quando a transpiração ocorre acima do normal, e se torna frequente, isto pode indicar que o colaborador está sob tensão. Ou seja, pode indicar um nível elevado de estresse e dificuldade para relaxar.

6. Insônia crônica

A perda regular do sono é uma séria ameaça à saúde e precisa ser logo corrigida. Podemos perceber pelos sinais cansaço, olheiras, olhos avermelhados, bocejos frequentes e irritabilidade.

7. Alteração de Peso

Sob estresse elevado, alguns passam a comer descontroladamente e logo ganham peso. Contudo, há outros que perdem o apetite e emagrecem.

8. Taquicardia e pressão elevada

Sob forte tensão, os batimentos cardíacos e a pressão arterial se elevam a ponto de alguns registrarem taquicardia abrupta e desconfortável. Um dos sinais é se sentir cansado e suar em demasia.

Zona Vermelha
9. Angústia profunda

Indica desconforto generalizado e indefinido com a sensação de vazio ou de que algo grave vai acontecer. A respiração se torna ofegante e, frequentemente, há falta de ar e sensação de calor.

10. Sentimento de desesperança

Acontece quando alguém sofre de um conjunto de fatores negativos e persistentes, como angústia, insônia, estresse, sensação de cansaço e desesperança.

11. Perda do sentido da vida

Quando o nível de estresse se agrava e a autoestima cai, tudo pode parecer difícil e sem sentido. Em meio ao desânimo e depressão, a pessoa muitas vezes verbaliza que sua vida não tem mais sentido.

12.  Perda de vontade de viver

Se a depressão atingir um grau máximo, aprofunda a sensação de que não há motivos para viver. É um momento que exige ajuda urgente, pois o sofrimento pode ser insuportável, com alto risco de vida.

 

[Fonte: Você RH] 

Veja também

Os seus funcionários estão nos lugares corretos?05/11/20 O primeiro passo é entender os diversos perfis profissionais e identificá-los na equipe. Depois, é questão de equilibrar essas competências Todo gestor sabe – ou ao menos deveria saber – que o engajamento dos funcionários é essencial para que uma empresa seja bem-sucedida, independentemente de seu porte ou segmento de atuação. Mas no......
Empresas precisam ouvir mais os colaboradores. Como fazer?21/05/20 Em um período de incertezas e ansiedade, estar mais próximo dos funcionários é fundamental! Muitas empresas se viram obrigadas, da noite para o dia, a colocar boa parte de sua mão de obra (se não toda) para......
RH 4.003/06/19 Que o mundo está mudando não é novidade para ninguém. Você já deve ter recebido vídeos e matérias de como será o futuro e como os novos aplicativos, ferramentas, softwares, robôs e novas......

Voltar para COMPARTILHANDO

USO DE COOKIES

Nós utilizamos cookies com objetivo de prover a melhor experiência no uso do nosso site. Por favor, leia nossa Política de Privacidade e nossos Termos & Condições para entender quais cookies nós usamos e quais informações coletamos em nosso site. Ao continuar sua navegação, você concorda que podemos armazenar cookies no seu dispositivo. Leia nossa Política de Privacidade.